SOBRE O NELORE RK GALERIA DE FOTOS NOSSOS PARCEIROS NELORE RK NA MÍDIA MAPA DE LOCALIZAÇÃO ENTRE EM CONTATO CONOSCO
.
___
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
___
 
VOLTAR
 
 
 
. .
  • Selecionar Zebu é uma arte que exige Olhos Sensíveis aos animais e aos números
. .
  Para potencializar os resultados na pecuária seletiva é de extrema importância que exista um plano genético para o rebanho. Para isso, é necessário identificar quais são os pontos fortes e fracos do rebanho, e então estabelecer metas quanto ao ganho para cada característica relacionada ao sistema de produção. Genética é aditiva, ou seja, o ganho é acumulado no decorrer da seleção, portanto cada nova geração tende a ser mais evoluída geneticamente se o plano genético for executado e os critérios de seleção atingidos. Podemos definir o termo critério de seleção como a forma de estabelecer metas para todas as características que envolvem o sistema de produção, como crivo para cada geração, ou seja, identificar anualmente os indivíduos superiores, a média, e os indivíduos inferiores, que consequentemente serão descartados do rebanho. Para os rebanhos de corte, podemos citar os 20 principais critérios de seleção a serem explorados com o objetivo de melhoramento genético: 1. ÍNDICE DE PRENHEZ (%) 2. PERÍODO DE GESTAÇÃO (DIAS) 3. IDADE AO PRIMEIRO PARTO (DIAS) 4. ÍNDICE DE ABORTO (%) 5. ÍNDICE DE NASCIMENTO (%) 6. ÍNDICE DE MORTALIDADE NÉO-NATAL (%) 7. ÍNDICE DE MORTALIDADE NAS FASES: ANO / SOBREANO / ADULTA (%) 8. INTERVALO ENTRE PARTOS (DIAS) 9. LONGEVIDADE: PERMANÊNCIA NO REBANHO COM PRODUÇÃO (NÚMERO DE PARTOS CORRELACIONADO AOS MESES DE IDADE) 10. PESO DA MATRIZ CORRELACIONADO AO PESO DA CRIA AO DESMAME (KG) 11. PESO À DEMAMA - 240 DIAS (KG) 12. GANHO DE PESO DO NASCIMENTO A DESMAMA (KG) 13. PESO AO ANO - 365 DIAS (KG) 14. GANHO DE PESO DO NASCIMENTO AO ANO (KG) 15. PESO AO SOBREANO - 450 DIAS (KG) 16. GANHO DE PESO DO NASCIMENTO AO SOBREANO (KG) 17. PERÍMETRO ESCROTAL AO ANO - 365 DIAS (CM) 18. PERÍMETRO ESCROTAL AO SOBREANO - 450 DIAS (CM) 19. AVALIAÇÃO DE CARCAÇA: ÁREA DE OLHO DE LOMBO (CM2) / ESPESSURA DE GORDURA (MM) 20. AVALIAÇÃO MORFOLÓGICA Certamente, todos os critérios de seleção adotados auxiliam muito no processo de melhoramento genético dos rebanhos, com tudo, é importante lembrar que a avaliação morfológica dos animais é outra ferramenta necessária, pois a estrutura e funcionalidade podem ser avaliadas visualmente e soma aos índices zootécnicos. Contando com a avaliação morfológica juntamente com os indicadores zootécnicos, podemos definir o perfil produtivo do rebanho e daí seguir para os acasalamentos direcionados. Defino o termo acasalamento direcionado, como sendo a técnica de identificação do reprodutor que somando as características da matriz ou grupo de matrizes, morfológicas e genéticas, irá potencializar os resultados da progênie de acordo com os objetivos da seleção. A utilização de touros melhoradores, ou seja, touros provados quanto à produção, é a forma mais rápida de se obter melhores resultados no rebanho. Para identificarmos estes reprodutores é importante conhecermos um pouco mais sobre os programas de melhoramento genético de cada raça, usufruindo das melhores características dos touros que disponibilizam sêmen para o mercado conciliando com as deficiências do rebanho, a fim de potencializar o ganho genético nos acasalamentos direcionados. Portanto, orientando-se através dos índices genéticos de cada reprodutor (e matrizes no caso de pecuária seletiva), avaliação morfológica (reprodutor/matriz) e metas para os critérios de seleção, ficará muito mais fácil definir quais reprodutores deverão ser utilizados para contribuir com a evolução genética do rebanho. Rafael Mazão Ghizzoni Zootecnista - Jurado ABCZ Esp. Julgamento das Raças Zebuínas Consultor Técnico Corte - Alta
 

 

 

 

MAXIMODIGITAL - Criando Sites Inteligentes - 8766.6594 / 9957.6535